Amor bandido

Foi amor quase à primeira vista. Tudo o que ela fazia era legal, diferente e me divertia. Ela também era inteligente e bem-sucedida. Fazer parte da vida dela se tornou um sonho, quase uma obsessão, que eu achei que jamais viraria realidade. Eis que, um dia, após uma verdadeira competição, conquistei meu lugar ao sol e ela, finalmente e de uma vez por todas, passou a fazer parte do meu dia a dia. Como em todo começo de relacionamento, nós eramos unha e carne. Eu achava ela o máximo, melhor até do que eu imaginava, e ela me fazia sentir inteligente e bem-sucedida, exatamente como eu a via. Nossos almoços tinham os melhores cardápios, os lanches da tarde eram especiais, meu guarda-roupa ganhou um upgrade e, até onde eu sei, a maiorias das pessoas invejava nossa relação. Inocente, pensei que tudo aquilo duraria para sempre, mas o tempo passou e tivemos nossa primeira crise. Ela disse que sentia minha falta, mas que não podia ficar comigo naquele momento. Sofri e chorei, mas, no final, me sujeitei a viver como ela propôs porque achei que seria melhor do que não tê-la mais. Certo dia, voltamos a ser quase como antes. O “quase” me incomodava, mas eu estava disposta a ser paciente e esperar que tudo fosse como eu gostaria novamente. Promessas foram feitas, mas nunca cumpridas, e expectativas foram destruídas. Conforme o tempo passava, as qualidades começavam a diminuir – ou os defeitos começavam a aparecer? – e hoje eu sei que ela não me trata tão bem, mas ainda reconheço que é ótima em outras coisas. Também sei que ela não é exatamente o que mereço ou o melhor que posso ter, só que é difícil aceitar que, às vezes, os caminhos se dividem e é preciso tomar rumos diferentes. Mas acho que estou prestes a entender que o sonho de todo mundo pode não ser mais o meu e que a vida é muito mais do que um amor.

 
Advertisements

1 Comment

Filed under Comportamento

One response to “Amor bandido

  1. Ai, eu não fui marota sabe #shameonme hahaha mas, depois de entender o sobre o que era repito o que te disse: a gente tem sim que se entregar aos sonhos afinal, a vida só existe enquanto buscamos eles mas, ao vivê-los temos também que saber a hora certa de aceitar que o sonho não era tão sonho assim já que até o príncipe encantado pode ter seu dia de sapo. E quem nunca viveu um amor bandido que atire o primeiro lenço de papel [?]

    Beeeeeijo :*

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s