Filme: Um Dia

Um Dia é a adaptação cinematográfica do livro homônimo, assinado por David Nicholls. Para ler mais sobre a obra original e saber o que achei sobre ela, clique aqui!

Desde que li Um Dia, em meados de julho, fiquei ansiosíssima para assistir à versão cinematográfica – afinal, a obra de David Nicholls foi uma das melhores que li em 2011, se não a melhor. Assim que os trailers saíram, corri para assistir e tive a sensação de que a adaptação seria bem fiel ao livro. Mas, depois de algumas experiências não tão bem-sucedidas (vide aqui), tentei não criar expectativas demais sobre o filme, embora a ansiedade tornasse isso quase impossível. Eis que o grande dia chegou e eu pude, enfim, tirar minhas próprias conclusões.

Como eu já havia dito antes, o Jim Sturgess era exatamente o que eu imagina para Dexter, pelo menos em termos físicos. No entanto, o ator encarnou perfeitamente a personagem, não deixando nadinha a desejar. Já a Anne Hathaway não era a minha Emma ideal. Mas a caracterização também foi perfeita e a atriz, como de costume, não me desapontou: personificou Emma de forma perfeita, em todos os sentidos. Muito se falou – ou melhor, criticou – sobre o sotaque britânico de Anne. A minha opinião é que ele não é perfeito como o de Renée Zellweger em O Diário de Bridget Jones, mas também não chega a ser péssimo, como alguns o classificaram.

Agora, vamos ao filme em si: assim como aconteceu quando eu assisti Não sei como ela consegue, algumas partes do longa eram tão fiéis ao livro que até parecia que eu já havia visto aquelas cenas. Muitos diálogos e frases foram mantidos como na obra original e o melhor é que me trouxeram as mesmas sensações que a leitura – o que acho sensacional. As tiradas sarcásticas, principalmente da parte de Emma, também foram mantidas com fidelidade e, devo confessar, ficaram ainda melhores no filme.

Ainda falando sobre a fidelidade, que realmente me impressionou, não houve personagens ou acontecimentos (importantes) esquecidos, criados ou transferidos. Scherfig trabalhou exatamente com aquilo que o livro oferecia e fez com que tudo funcionasse. Claro que muitas coisas que acontecem no livro foram deixadas para trás, por causa daquela questão de duração que já conhecemos. Mas essa seleção do que seria deixado de lado foi muito bem feita e a história e principalmente o significado dela não se perderam em nenhum momento. Acho que isso tem muito a ver com o fato do próprio autor ter adaptado o roteiro para as telonas, mas o mérito também é da diretora. Além dessas pequenas adaptações, a única diferença do filme em relação ao livro é a inclusão do ano de 2011 que, apesar de não ser algo necessário, foi pertinente.

Outro ponto que achei interessantíssimo foi a forma como Scherfig conseguiu transferir o mesmo clima nostálgico/melancólico da obra original para o longa. Como eu já havia lido o livro, é difícil afirmar com certeza, mas tenho a sensação de que a diretora também foi capaz de manter o suspense até o desfecho, assim como na obra original. A história de Um Dia não é exatamente a mais original do mundo, assim como a lição que transmite. O que diferencia a obra de  David Nicholls, no entanto, é a forma como a história é contada. E o mérito da versão cinematográfica é justamente ter feito com que o mesmo estilo de narrativa funcionasse além do papel.

Como um simples filme, eu diria que Um Dia está até um pouco acima dos padrões – apesar de ser suspeita para fazer essa afirmação. Como adaptação, no entanto, posso dizer que é simplesmente perfeito.

Título original: One Day
Diretor: Lone Scherfig
Ano: 
2011
Minutos: 
107
Elenco:
 Anne Hathaway e Jim Sturgess
Avaliação: 
5 estrelas

Mais filmes aqui!

Advertisements

10 Comments

Filed under Filmes

10 responses to “Filme: Um Dia

  1. Desde que li a sinopse do livro já me encantei e depois que fiquei sabendo que teria o filme fiquei mais ainda ansiosa para poder lê-lo.
    Sobre o sotaque britânico feito pela Anne não posso opinar pois ainda não vi o filme mas acredito que não tenha sido tão ruim pois ela é uma ótima atriz e não entendo pra quê tanta critica, só por causa disso! Se queriam uma coisa perfeita porque então não chamaram uma atriz britânica não é mesmo?
    Beijos.

    Books e Desenhos

  2. QUEM TE DEU O LIVRO?
    Hahahahaha…

    voltando: é, eu curti o filme, mesmo sem ter lido o livro :)
    Confesso que fiquei meio melancólica em muitas partes, porque na minha atual situação, é meio triste assistir um filme assim (haha), mas gostei! O sotaque dela estava mais evidente no começo do filme, e mais marcado, depois parece que ela já tinha se familiarizado e ele fluiu bem melhor. Enfim…tô numa promoção para ganhar o livro. Se eu ganhar…até leio, hahah!

    Beijos!!

  3. AHHH! Quero muito ver esse filme. Quanto tempo você demorou para ler? Será que consigo ler e ainda pegar no cinema? >_<
    Adoro a Anne e o Jimmy desde que o vi em Across the Universe.
    beijos!

  4. Ai, acho que sou uma das poucas pessoas que não leram o livro ainda.. Quero ler, mas falta tempo ;~ E o filme eu quero muito assistir. Só não decidi se antes ou depois do livro! haha

    Mesmo assim, já sou fã da história!

    Beijos

  5. Nádia…demorei um pouco mas passei aqui pra fazer uma visita e agradecer o seu comentário no meu post de colunista quinzenal no blog ‘Estante Vertical’, obrigada por compartilhar comigo um pouco de sua paixão pela leitura ;] amo a Meg Cabot e seus livros e com ctz a sua série ‘O Diário da Princesa’ é mto boa msm!!!
    Falando do post, na sinceridade li bem por cima, tudo pq estou com mta vontade de ler o livro e depois ver o filme, então busquei a sua opinião que já fez tanto a leitura como conferiu a adaptação pra ver se animo e compro logo o livro…Amei seu blog!
    Bjo FRAN

  6. Desculpe, mas pela sua resenha fiquei com a impressão de ter assistido a um filme completamente diferente que você. Apesar de adorar a Anne Hathaway, achei que o romance foi transformado em uma comédia romântica água com açúcar das mais fracas, e olha que sou fã das comédias românticas. Destruíram a história, tudo ficou superficial, não consegui sentir a mesma ligação entre Emma e Dexter que ficava tão evidente a cada página, aquela que me cativou tanto no livro e o fez se tornar tão especial. Sei lá, opiniões…

    • Primeiro de tudo, gostaria de dizer que amei o livro justamente por essa ligação entre Emma e Dexter. Como viciada em comédias românticas, acho que tenho certa propriedade para saber o que é uma comédia romântica água com açúcar e o que é algo maior do que isso. E, para mim, Um Dia é maior do que isso. Também vale deixar claro que eu tenho opinião o suficiente para dizer que não gostei de um filme (ainda mais se for a adaptação de um livro que eu gostei tanto) e, sinceramente, não foi esse o caso. Como eu disse no texto, o filme me causou as mesmas sensações que o livro e acho que isso é muito louvável. Mas, como você disse, opinião é opinião.

      Ps: da próxima vez, não deixe um comentário anônimo, pois não tenho nada contra opiniões contrárias às minhas e fica mais fácil a comunicação ;)

      • Não assino justamente para não criar rótulos ou preconceitos (no sentido literal da palavra, uma opinião pré concebida), acho que aqui o importante não é a pessoa com quem está falando, mas o debate de opiniões e o espaço para uma boa discussão, não importa se é homem ou mulher. E por falar em opiniões, mais uma vez vou ter que discordar de você, não é porque você é viciada em um gênero a torna uma ‘expert’ no assunto (nem estou dizendo o contrário), assim como uma pessoa que lê os jornais todos os dias não a torna um jornalista, muito menos quem é fã de futebol pode assumir o cargo de treinador, simplesmente por ser gostar do esporte. Claro, que o “vicio” a torna um pouco mais conhecedora mas não uma profissional (por favor, me corrija se estiver errado) e até acho que isso seria desprezar um pouco do trabalho de quem estudou cinema, por exemplo. Não que a sua opinião não seja valiosa, não é isso. Mas continuo com a opinião que o filme é muitíssimo fraco e superficial e, que não chega aos pés do livro. O longa está muito mais para uma comédia romântica do que para um romance propriamente dito. Dito isso, não estou falando que o filme é ruim, em algumas partes até cheguei a me emocionar, mas não senti 1/3 do que senti nas páginas.
        E só para aliviar a tensão, não estou te criticando, só colocando uma opinião diferente da sua.

  7. Vamos lá, então:
    1- valorizo uma discussão saudável, sim, senão não teria criado um blog e colocado aqui minhas opiniões. mas acho muito cômodo expor o que você pensa sem dar a cara pra bater. mas, mais uma vez, é uma questão de opinião e princípios.

    2- em nenhum momento eu disse que era expert no assunto. apenas disse que, por assistir a muitos filmes do gênero, acredito que posso, sim, ter uma opinião consistente sobre o assunto. ser expert é diferente de ter propriedade. também não estou desprezando quem estudou cinema, até porque se eu me considerasse profunda entendedora do assunto apenas por assistir comédias românticas, eu seria bem idiota – e tenho certeza de que não foi isso o que eu dei a entender lá em cima.

    4- se você realmente leu a minha opinião sobre o filme, vai saber que eu também achei que eles deixaram alguns detalhes do livro para lá. e se você está acostumado a assistir adaptações de obras literárias, também vai saber que, infelizmente, isso acontece em praticamente todas as versões cinematográficas – boas ou ruins.

    Por fim, em nenhum momento eu achei ou disse que você estava me criticando – e também se estivesse, estou sujeita a isso por me expor num blog, certo? Apenas achei válido rebater as suas opiniões, pois pareceu que você achou que eu sou uma empolgada qualquer, que encarou o filme como mais uma comédinha romântica e gostou dele só porque não tem referências. e, bem, como já dissemos, não sou especialista, mas tenho o mínimo de embasamento para fazer uma análise sincera e válida. acredito que o que estamos discutindo aqui é muito mais do que simples opinião. é algo mais subjetivo do que isso, na verdade. é uma questão de identificação: eu achei que o filme trouxe as mesmas sensações que o livro. você não. ponto. não tem o que discutir, são coisas que não se controlam.

    enfim, fica aqui o convite para que você apareça mais vezes para debater comigo outros assuntos. espero, sinceramente, que da próxima vez você me conte quem é, pois para mim, é importante. no hard feelings :)

  8. Ah, desde o lançamento de Um dia estou louca para lê-lo, porém ainda não consegui compra-lo. Queria assistir o filme, mas gosto de ler o livro antes :S Enfim, adorei sua critica, me deixou super curiosa.

    Beijos&beijos
    Book is life

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s