Intolerante ou geniosa? Compreensiva ou tonta?

Dizem por aí que a vida moderna deixa todo mundo com menos paciência. Se isso for verdade, imagina quem já nasceu sem? Bom, esse parece ser o meu caso. Nunca fui uma pessoa paciente e, com o passar dos anos e o acúmulo de responsabilidades, fui ficando cada vez mais intolerante. As pessoas costumam achar meu jeito engraçado e, é verdade, os desabafos de irritação costumam ser divertidos. Mas estou percebendo (só agora) que essa história de ser intolerante/impaciente/chata/whatever só traz prejuízos para mim mesma. E estou tentando ser mais calminha. Mas como é difícil!

Lembram do Garoto Enxaqueca?

Intolerante ou geniosa?

Quando a gente tem uma característica duvidosa e quer admitir sem ser tachado de chato, dizemos que somos “geniosos” ou temos “personalidade forte”. Boa saída, né? Mas, até que ponto não tolerar algumas coisas é ser apenas uma pessoa de gênio forte? Será que vale a pena externar tudo aquilo que não gostamos? Olha, ultimamente tenho achado que a intolerância só é desagradável, além de ser uma forma bem eficiente de trazer mais stress e problemas. Mas, ao mesmo tempo, é tão tentadora…

Compreensiva ou tonta?

Se tem uma coisa que eu simplesmente odeio é sentir que estou sendo feita de idiota. Tudo bem, ninguém deve gostar. Mas eu simplesmente não consigo deixar pra lá, levar numa boa. E aí entra um novo dilema: ser mais compreensiva, “de boa”, não é a mesma coisa que fazer papel de tonta por querer?

Bom, depois de refletir por um tempo, cheguei à conclusão que qualquer bobo chegaria: o ideal é encontrar o equilíbrio, sendo compreensiva ou intolerante na medida e situações certas. Mas, se encontrar o equilíbrio fosse fácil… ah, como as coisas seriam diferentes!

Mas ser mais calma e compreensiva será meu novo desafio: será que eu chego lá?

Advertisements

10 Comments

Filed under Comportamento

10 responses to “Intolerante ou geniosa? Compreensiva ou tonta?

  1. Paula Dentro

    Não acho que torna vc boba, mas desencanada!!!!! Isso só traz beneficios pra vc. texto bom. parabens

  2. Cidinha

    vim visitar o seu blog e ja me deparei com um post que praticamente disse da minha vida… rsrs!! é isso que to tentando tb, equilibrar a tolerancia e a compreensão sabe…. é difícil …. aff!! Mais difícil ainda é quando já me conhecem por ser “geniosa”, rsrs

  3. Vanessa

    O que alguns minutos de conversa não resultam não e mesmo?! rs
    O equilíbrio e sim importante mas nem sempre conseguimos de fato sermos desencanadas, ainda mais quando certas coisas passam do limite! Limite da amizade, da educação, do bom senso, da moral.
    Depois de anos garota enxaqueca, migrando pra fase da paciência da cerimonia do chá….prefiro ser enxaqueca que exterioriza sem agredir ninguém. Graças a engolir sapos, você adquiri gastrite, ulcera, estresse constante e quem dirá ate um câncer!
    Guardar não e bom, compartilhar com alguém próximo, seja uma amiga, alguem familiar ajuda e muito mas o fundamental e agir! Por em pratica ações que revertam o mal estar, os maus hábitos, o lado moroso e compreensivo demais, por na geladeira o lado Poliana que as vezes quer encostar em você!
    Não se acomodar e esperar muito das pessoas e uma boa pedida também, assim não geramos expectativas que se transformam em decepcoes! Acho que e um exercício diário e que com o tempo conseguimos melhorar, evoluir! O lance e fazer a sua parte, estar em paz com a sua consciência, não aceitar certas coisas alheias e não absorver o que e do outro!
    Adorei o post Na!
    Beijo

    • Adoro seus comments gigantes, hahaha!
      Mas é, concordo com você. O meu grande problema é que eu continuo remoendo mesmo depois de exteriorizar a questão.
      Por isso, preciso aprender a não remoer (principalmente depois de me expressar) e encontrar o tal do equilíbrio…

  4. Samantha

    O melhor post!

    Sou “geniosa e tenho personalidade forte”.
    Já tentei engolir, tolerar, conta até 375957383… mas definitivamente, não deu certo.
    Isso literalmente, me fazia mal!
    A vontade de me expressar é megamente mais forte!

    Juro, pensei muuuuuuuuuuuuito³ sobre isso, AFINAL, QUAL É O LIMITE?

    Ultimamente, tenho externado minhas “opiniões” quando me prejudicam. Busco ao extremo avaliar rapidamente a situação (é difiiiiiiicil!)
    Por exemplo, pode parecer clichê, mas eu, mais do que qualquer outra pessoa no mundo, não suporto injustiça, nesses momentos, “falo mermo”!
    Me encomoda quando as pessoas se comportam da forma como eu não me comportaria… sabe?
    Mas por exemplo, num simples diálogo:
    – Criatura: Samantha, por favor pega tal coisa pra mim?
    – Sá: Claro, “toma”
    – Criatura: …………………… (cri cri “grilinhos”…… silêncio……)
    – Sá: De nada. Ham.
    – Criatura: Nossa……………………………

    Haha, situações assim… me irritam um pouquinho, mas são essas que posso tolerar, afinal, não me prejudicaram, esse deve ser o equilíbrio… (será?)

    Mas é como dizem, não devemos esperar dos outros aquilo que fazemos…. é alguma coisa assim…!

    Acredito que devemos reagir da forma que nos faz bem, simplismente da forma justa!
    Se nos fazem de “idiota”, devemos demonstrar, (se possível) sutilmente que estão enganados…

    Mas o segredo para isso é não perder a razão, não nos nivelar ao comportamento alheio e ter em mente que impossível agradar a todos.

    Equilíbrio, equilíbrio, equilíbrio!

    Queria um manual que eu pudesse consultar e descobrir que tipo de comportamento posso ter em determinado momento!

    Enquanto isso, vamos pelo bom senso, pelo bem de nossa saúde e consciência.

    Bjoo!

    • é exatamente esse o pensamento! E, acima de tudo, não dá pra esperar mesmo que os outros façam o que você faria. Até porque o certo, às vezes, é subjetivo, né? E o que significa algo pra você pode não significar nada pro outro e vice-versa.
      É difícil mesmo, mas chegaremos lá :)
      beijo

  5. Mari

    hahahaha aiai minha amiga geminiana…
    Eu também gostaria de ser mais desencanada e não levar TUDO tão a sério, mas será que vale a pena tentar ir contra quem nós somos de verdade?
    Eu vivo dizendo pra minha mãe que não posso, de jeito algum, ser quem eu sou de verdade fora de casa, pois senão as pessoas simplesmente me odiariam! haha por isso que quando eu chego em casa eu estou tão cansada de não ser eu! E fico mais estressada ainda por isso rs
    Mas, infelizmente, ainda mais na sociedade de hj, não podemos externalizar tudo o que pensamos e sentimos, sob pena de sermos presas ou processadas! hahaha
    Vou te contar, foi uma luta árdua comigo mesma, mas já parei de dar piti por causa de funcionário incompetente e mau atendimento em lojas e afins, o Adam até me parabenizou outro dia por eu respirar fundo na hora, e só depois comentar, achando graça ainda, da incompetência da moça…
    Mas no fundo no fundo, acho ótimo sermos exigentes (que é o que causa a intolerância na maioria das vezes) porque se a gente acabar nivelando tudo por baixo, my God, salve-se quem puder, né?

    • sim, sim, e sim! É tudo isso o que eu penso e sinto, principalmente com atendimento ruim, hahahaha! Mas também estou tentando me manter mais calma porque já vi que isso na maioria das vezes não traz benefício nenhum pra mim. Então, minha tática está sendo avaliar se meu piti traria algum benefício, daria algum resultado. Se eu achar que sim, aí eu esbravejo, senão, deixo quieto. E, no final das contas, só vale a pena mesmo com quem é bem próximo, porque daí presume-se que vocês queiram evoluir e talz. Agora, com o atendente incompetente, você não quer nada, né. Então, é melhor deixar pra lá, mesmo hahaha

      Mas concordo, acho bom ser exigente. Só acho que tem que tomar cuidado pra não virar arrogante, né?

      • Mari

        Verdade total o que vc disse sobre discutir só quando a pessoa vale a pena! Eu tenho pensado nisso ultimamente, que devemos investir, e muito, e bem, naquelas pessoas/relacionamentos que gostam da gente e nos fazem bem sabe? E o contrário tbm, nos economizar de pessoas que não acrescentam nada!

        Quanto à intolerância e talz, sabe que eu acho que vem um pouco (ou tudo) dos nossos ancestrais? E eu gosto de cultivar isso em mim- ainda que às vezes seja em segredo…

  6. Muito bom seu texto! parabéns…descreveu o momento que estou.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s